Pé de .....



Já escrevi em muitos posts minha predileção pelo canal de TV a cabo Discovery Home & Health. Assisto a quase todos, confesso não gostar muito daqueles de transformação porque, como eles passam alguns anos depois aqui no Brasil, acho tudo meio brega! Mas quando envolve temática familiar, assisto um atrás do outro sem problemas.

Na sexta-feira passada, como ainda estava de férias e Sophia estava na casa da vovó, deitei na cama e comecei a “overdose” de H&H ... eram umas nove e pouco da noite, o que significa Grávidas e Peruas, Supernanny seguido de Adolescentes Rebeldes .... quando uma coisa chamou a minha atenção: por que o canal escolheu essa sequencia de programas?

Não sei se alguém já assistiu a esses programas e, em especial na sexta-feira, quando um é atrás do outro ... eu nunca tinha parado para assisti-los nessa ordem, ou se tinha, ainda não havia parado e pensando que nessa sequencia, os programas fariam mais sentido.

O programa Grávidas e Peruas é uma espécie de reality show (como os demais) que traz as dúvidas, medos e incertezas de mulheres muito bem estabelecidas financeiramente e que encontram durante a gravidez um grande problema: conciliar gestação com vida social ‘noturna’ agitada; barriga crescendo com saltos finíssimos e altíssimos; decoração da casa com brinquedos coloridos; carros de luxo com carrinho e bebê conforto ... gente é sério, o programa mostra a angustia e agonia das mulheres por que não sabem o que fazer com aquela barriga tão grande que, muitas vezes a deixam feias e impedem que possam continuar exercendo suas vidas de .... madames que não fazem nada!

Passado essa “problema” com a gestação, vem o cuidado e educação com os filhos ainda pequenos, onde uma serie de sucessão de “erros” são cometidos mas, para alivio geral da nação materna e paterna, existe uma Supernanny disposta a recuperar e colocar a casa em ordem, literalmente. Agora o que sempre me chamou a atenção nesse programa é a quantidade de filhos que esses casais ... são quatro, cinco até seis!

Quando a coisa não tem jeito e os pais decidem se omitir total da responsabilidade de educadores e formadores, daí vem o Adolescentes Rebeldes, onde um bando de adolescentes que numa rebeldia sem causa, porque na maioria dos programas eles vivem em famílias de classe média, tem estudo e os pais são bem liberais, mas querem mais ... querem beber, fumar, transar .... daí, enviam os rebeldes para a casa de famílias (em sua maioria) com valores cristãos e que buscam ensinar os filhos conceitos como respeito, responsabilidade e temor a Deus (em primeiro lugar) e aos pais.

Parece que, se a gente colocar tudo isso num mixer e não colocar a terapeuta Rosie do Grávidas e Peruas, a Jo do Supernanny e as famílias éticas e jogar apenas os problemas, temos um ciclo natural da vida humana. As mulheres engravidam sem nenhum tipo de preparo ou consciência do que significa ser mãe e seu marido é uma espécie de “banana” que apenas supre sua necessidade financeira, esse casal tem filhos que não tem educação nem limites que crescem tornando-se adolescentes que tiveram tudo e todos e por isso são alienados e que crescem como um homem da espécie “banana” e mulheres da espécie “perua” que se casam e engravidam e ......

Será que é isso que a gente, mamães do século XXI desejamos para nossos filhos e filhas? Aprendi com uma psicóloga que o que difere a maternidade da minha avó com a minha são as ferramentas que estão dispostas E disponíveis para que possamos entender, aprender e executar a benção da maternidade. Para a minha avó, educar era simplesmente bater e colocar de castigo. Não havia (se havia, não tinha acesso) livros, profissionais, programas, revistas, internet para auxiliar essa melhoria diária pela “maternidade perfeita”.

Quando dizem que os primeiros anos de uma criança são importantíssimos e que nesses podemos ensinar tudo, até muitas línguas estrangeiras porque é uma esponja e absorve tudo, o que dizer de uma mulher quando descobre que está grávida? Parece que a gente tem desejo, fome e sede de aprender todas as coisas que possamos fazer dos nossos filhos os  crianças, adolescentes, jovens e adultos exemplares, dignos e que nos orgulhe dos seus bons caminhos.

Acredito, de verdade, que somos o maior exemplo de como queremos e desejamos que nossos filhos sejam. Existem exceções, claro ... claro que tem um homem honrado que nasceu na favela, viu o irmão morrer no tráfico e nem conhece o pai, mas atrás e antes disso existe uma mãe que fez tudo, na medida do possível para passar valores para um filho. Existem as mães que dobram os joelhos e pedem para Deus ajuda, há aquelas que vão em livros e tem aquelas que buscam na televisão e internet instrução para fazer a diferença na educação do seu frutinho.

Ao assistir esses programas, confesso que aprendo muito ... a maternidade é uma espécie de faculdade, onde a matéria é o dia a dia, as provas são as etapas do desenvolvimento vencidas e a conclusão do curso .... ah, isso é certo que demora um pouco porque só vem quando os frutinhos se tornam árvores, prontas para darem novos e maravilhoso frutos! 

do Google




Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

Mateus 7: 17-20
  

9 comentários :

  1. Que post lindo!!! Concordo com você quando diz que somos exemplos a ser dado!
    Digo para todos que a maternidade mudou meu jeito de pensar, de falar e de agir! Faço tudo isso não mais oensando em mim e sim na Clara...
    É e sera sempre assim enquanto eu viver tenho certeza! rs

    Beijos
    Débora

    ResponderExcluir
  2. Má sempre digo ao meu marido que somos o espelho da Laura. As atitudes dela serão reflexo das nossas...
    Adorei!!!

    Beijocas
    Carol

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcella, eu estava pesquisando sobre cremes maternite e me deparei com o seu blog. Estou grávida de 20 semanas de uma menina e feliz da vida, eu assisti o Grávidas e Peruas, um episódio qe uma não parava de comer e outra gostaria que o chefe fosse padrinho e não gostei achei meio fútil. Adorei vir aqui e te convido para uma visita no meu blog também: www.docesimplicidade.blogspot.com espero que não se importe pois já te linkei lá ok!
    Grande beijo Cá.

    ResponderExcluir
  4. Má,

    Saudades daqui!!! Bjo jana e Gui

    ResponderExcluir
  5. Marcella, você escreve com tanta sabedoria que até espanta.
    Que lindo post!
    Que maturidade querida.
    Parabéns!
    Bjsss
    Ane, mamãe da Malu

    ResponderExcluir
  6. Também assistia muito, e quando estava grávida via os partos. Mas a gente vai prestando mais atenção conforme vamos passando as fases. Pelo jeito esse broto que você tem em casa vai ser tornar uma árvore das boas!

    ResponderExcluir
  7. Eu também adoro esse canal!
    Vejo o "Gravidas e Peruas" e não sei se choro ou dou risada!
    Bem colocada usa observação em relação a sequencia de programas, com certeza uma gravida perua terá um filho criança mal educado e que inevitavelmente será um adolescente "rebelde" Pq pra mim eles são vitimas dos próprios pais que foram negligentes na sua educação.

    Má sonhei com você essa noite com você a Sophia e o Ramom, no sonho vocês estavam almoçando na minha antiga casa, tinha um churrasco, foi um sonho bem legal daqueles que a gente acorda bem sabe?!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Adorei seus textos! Um ótimo final de semana! Beijos

    ResponderExcluir
  9. Acho boa a proposta desses programas, mas não consigo assistir de jeito nenhum... Acho tudo tão forçado. A supernanny, então, tenho vontade de matar hahaha.
    Mas falando do post, você está super certa. A maternidade começa na gravidez e desde lá a gente tem que tentar sempre melhorar...
    Beijoooos

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 Mamãe de Salto - Layout Personalizado por Giselle Carvalho