Querer não é poder!

QUERER 1 Sentir vontade de; ter a intenção de. 2 Almejar, ambicionar, anelar por, desejar. 3 Exprimir o ato psicológico e formal da vontade; mostrar decisão. 

PODER 1 Ter a faculdade ou possibilidade de. 2 Ter autoridade, domínio ou influência para. 3 Ter força, influência ou alimento. 

Retirado do Dicionário da Língua Portuguesa Michaelis online 

Peguem suas pedras, preparem seus estilingues, mirem na minha cabeça ... vai, dou tempo para vocês apontarem e lançarem as pedras para o que vou lhes dizer: na maternidade querer não é poder! 

Tenho visto um manifesto nas redes sociais sobre culpa e, já vi algumas mamães apoiando o manifesto e algumas mamães que torcem o nariz para os assuntos abordados na campanha. Acho muito legal poder acompanhar esses dois lados, das mamães “liberais” e das mamães “radicais”, sempre aprendi muito com todos esses lados, seja aprender o que fazer e aprender o que não fazer ... mas eu aprendo! 

Daí que tenho visitado alguns blogs e tenho me deparado com uma situação que me fez parar e pensar: percebi que a maioria dos posts que trata de escolha do parto, desmame, desfralde, deschupetamento (será que existe essa palavra?!), troca de cama, colocar na escola, trabalho e alimentação tem um certo ar de, como posso dizer, cuidados com a maneira de agir e, principalmente de compartilhar, com medo do que as outras mamães da blogosfera irão pensar! Estou certa ou estou errada?! 

Já vi posts sobre partos onde a mamãe conta o sublime momento em que recebeu em seus braços o presente mais perfeito que Deus pode dar, incluindo detalhes sobre a saída de casa, chegada na maternidade, preparação para o parto, entrada no centro cirúrgico, companheiro ao lado, choro do bebê, pose para foto, exames de rotina enquanto os médicos suturam a mamãe que chora de alegria ... mas no final, bem lá na última estrofe a mãe lamenta que não foi possível parto normal. Pra que lamentar que não fez parto normal?! O que faz você ser um ser humano pior por não ter desejado, consigo ou mesmo querer passar horas sentindo dor?! Ué ... você tem desejos, vontades e isso é uma coisa que somente você pode escolher! 

Já vi posts sobre amamentação onde a mamãe conta que foram seis, sete, oito meses maravilhosos e um dia, com o stress do retorno ao mercado de trabalho o leite começou a secar e o mundo acabou porque o vínculo mamãe e bebê acabaram e que agora ele estaria sendo alimentado por outra pessoa, afinal, além de não ter mais leite ele teria que ficar com uma babá, com a avó ou numa escola! Pra que lamentar que você voltará a exercer sua profissão que tanto ama?! O que faz de você uma péssima mulher querer trabalhar fora depois de ter um filho?! Você fez quatro ou cinco anos de faculdade, especialização, cursos e mais cursos para conseguir aquele tão almejado emprego para jogar tudo fora?! 

Já vi posts sobre a escola ideal, sobre metodologia de ensino e qual a melhor forma de socialização infantil. Waldorf, Piaget, construtivista, montessoriano, entre outros ... críticas ácidas sobre as escolas que não estão na lista das TOPS das mamães, mas lá está a mamãe, desejando uma escola cada vez mais humana e solidaria e todos os dias nos shoppings, almoçando e jantando fast-food. 

Já vi posts sobre tantas coisas que não combinam, mas nem por isso, eu pego as pedras e lanço sobre as decisões, sobre as escolhas, sobre as vontades, sobre os desejos, sobre a maternidade que acontece na vida de cada mamãe. Já falei algumas vezes aqui blog que se eu visito um blog e não gosto do estilo da blogueira de escrever ou se as ideias de maternidade não são da maneira que eu gosto, simplesmente saio e não entro mais! Já fiz post aqui no blog revoltada porque alguém decide entrar num blog materno, ler um post feito com amor e carinho e fazer um comentário dizendo que aonde já se viu a mamãe ter coragem de postar fotos de uma filha tão feia! 

Dias atrás vi uma mamãe amiga fazendo post porque alguém também vai, entra, visita, lê e “perde tempo” fazendo comentários maldosos. PRA QUE?? 

O pior, e o que mais tem me entristecido é que tenho notado que a blogosfera materna é que está se atacando e se matando. Eu não posso dizer que fiz uma cesariana porque eu não estava afim de passar dez, doze, vinte horas em trabalho de parto esperando dilatação total para um parto normal, eu tenho que fizer que infelizmente não consegui; Eu não posso dizer que não amamentei, que não sabia, que não consegui e, naquele momento também nem tentei amamentar minha filha e por isso eu sempre dei leite em pó, eu tenho que dizer que foi difícil e que infelizmente não consegui; Eu não posso dizer que odiei passar o dia inteiro em casa, apenas eu e minha filha e que, por isso e mais um monte de coisas, incluindo dinheiro, eu achei melhor voltar ao mercado de trabalho e colocar minha filha na escola, em tempo integral. 

Eu queria ter tido um casamento lindo, uma casa própria muitíssimo bem decorada, com um suporte familiar fantástico, uma gestação planejada, amada e desejada aonde todos estavam radiantes com a notícia de um bebê; o parto dos sonhos, amamentação linda, noite de amor e dias de glórias ... eu queria, quando eu tinha quinze ou dezesseis anos e comecei a namorar. Eu queria ter namorado, me formado, trabalhado, casado, viajado, planejado engravidar, ter minha filha, curtir o momento e ser feliz ... eu queria, quando eu tinha uns vinte anos e comecei a conversar sobre casamento com o namorado. Eu queria e desejei ... e nada aconteceu! 

Adoro conhecer blogs aonde tenham posts com maternidade real, daquelas com dificuldades, daquelas que falam de noites mal dormidas, daquelas que falam de sonhos e desejos, daquelas que pensam de um jeito e tudo acontece ao contrário! Agora deixa eu recolher umas pedrinhas que estão caídas perto de mim e fazer um castelo bem bonitinho! 


"Pedras no caminho? 
Guardo todas, um dia vou construir um castelo…"
 Pedras no caminho, Fernando Pessoa

27 comentários :

  1. Meuuuu, visito seu blog sempre e olha, sem brincadeira!!! Um dos melhores posts que vc escreveu!!! To contigo em genero, numero e grau!!!
    Não to suportando entrar em blogs que eu mesma já nomei de : "Tudo o que é meu é o melhor do melhor do mundo".
    Não suporto mais essa onda de só PN importa e todo aquele blabla.. Vc falou tudo, onde ja se viu agora termos que mentir falando: ai, eu queria PN, só para não ser massacrada! Caracaaaa, me deixa, né!?!? ahuahuahauhuhaha
    Ameii ameii e ameiiiii!!!
    Beijoss e mega parabéns pelo post!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa seu post está ótimo, digno de top five! Eu escrevo no meu blog da maneira que me sinto. Tenho algumas opiniões sobre os assuntos acima citados; amamentação, PN ou cesárea, volta ao trabalho, por na escola, etc; mas são minha opinião e são para minha vida. Cada um decide o que é melhor pra si. No momento eu prefiro ficar em casa com meu filho do q trabalhar. Faço relactação pq amo amamentar. Preferi o PN e faria de novo. Mas como falei isso vale pra minha vida. Na dos outros como posso me meter? E tb não aturo quem vem querer me dizer como agir. Bjs
    http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amiga, também estou com muitas pedrinhas caídas nesse momento, mas não tenho essa majestosa maneira de dizer que estou em cacos assim como você.
    Também quero construir um castelo, alias já estou construindo, pela segunda vez. Preciso apenas vencer o desanimo que as incertezas trazem, as dores que as palavras caladas deixam e olhar pra frente, e ver que sou capaz de superar mais esses obstáculos que deveras eu mesma criei.
    Sou de carne e osso sim, mas agora preciso ser rocha, pois o castelo deve ser erguido em solo firme, para não desmoronar jamais!!!!!


    Força e como diz o Buzz " Ao infinito e além!"


    bjocassssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Mesmo não sendo mãe e não acompanhando outros blogs - talvez por não ser o meu tema preferido (para mim não tem coisa mais chata que alguém ou um grupo que SOMENTE fala sobre seu filho e como foi sua gestação) concordo com vc. Tenho notado um grande número de pessoas reclamando do que não tiveram, ou do que não passaram, valorizando o que é do Outro. Uma amiga minha por exemplo, reclamou que não teve parto normal. Ué, ela esqueceu de avaliar o lado positivo. Era para não ser. A criança era enorme. Ou ela queria ser um túnel com cinco vias e o marido dela um carro popular para sempre?
    Acho que estamos acostumados, mimados e preparados para reclamar de tudo ou achar que nosso modo de viver e nossas escolhas são melhores que os outros. Acho que também estou de algum modo desabafando aqui, porque acabei de ser chamada de "comunista" e aluna de sociologia por uma amiga minha...rsrsrs
    Ninguém sempre acerta, as mães menos ainda, mas ter responsabilidade é fundamental em qualquer fase da vida. Criar um filho com criticidade, personalidade, opinião e não um alienado que só come Mc Donalds deve ser a ordem de todos os dias. Porque assim como vc, eu também estou um pouco cansada de ter que conviver com gente vazia, sem qualquer tipo de conteúdo ou "tempero".

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu acho que o blog também é uma forma de ALGUMAS mães fantasiarem e sustentarem as suas fantasias e, na verdade, eu não vejo muito mal nisso, porque ajuda a manter-se saudável dentro do castelo construído. Cada um utiliza dos recursos que tem para conseguir superar as suas dificuldades. Adorei seu post, adorei mesmo. Quero te convidar para participar da blogagem coletiva que estou organizando, sobre doação de medula óssea. Posso contar com a sua participação super importante? Se puder participar, meu email é o tati.rosa@terra.com.br

    ResponderExcluir
  6. Realmente é muito chato isso que vem acontecendo na blogosfera materna. Já deixei de acompanhar muitos blogs que pintavam uma maternidade linda e perfeita, como num conto de fadas, onde só o que essas mães faziam e diziam é que era o correto. Eu sou uma mãe comum, com medos e alegrias e apesar de errar muitas vezes, eu sei que EU sou a melhor mãe que minha filha poderia ter... eu tbem não consegui amamentar, fiz cesárea eletiva, já dei chocolate pra minha filha, já dei papinhas neslté (a Luisa não gostou, hehehe) fiz uma viagem de 8 horas com ela de carro quando tinha apenas 15 dias de vida... e daí, sou uma péssima mãe por isso? Não sou, não! Concordo com vc... tbem gosto de visitar blogs de gente como a gente, onde nada é fantasiado, decorado, inventado! Grande abraço
    Raquel
    www.eudonadecasa.com.br

    ResponderExcluir
  7. sou sua fã e nunca escondi isso, tanto que me senti o máximo porque fiz um post aqui rsrs.
    essa semana também escrevi mais ou menos sobre isso, mas de coisas que eu estou sofrendo atualmente pela forma que escolhi cuidar da minha filha.
    Quanto a "guerra" da Blogesfera Materna, acho que ela sempre existiu mas estava lá, tampada com a peneira, sabe?
    Tem coisas que não concordo, mas o que menos concordo é a falsidade em ler um mundo perfeito que não existe!!!!
    Aqui em casa nada é fantasia, no meu blog eu conto a realidade daqui, do que acontece comigo, do que acontece com minha filha ....
    Passa lá depois pra ver o post que publiquei ontem, adoro suas visitas!!!
    Beijos pra vc e pra Princesa da Sophia!
    Paola
    www.dicasdamaedipa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Hahaha, vou te matar de tanto jogar pedra! Mentira! Adorei o texto!
    Acho que o blog é um lugar onde podemos compartilhar o nosso dia-a-dia e não tem dia-a-dia perfeito né?
    Podemos expor nossa opinião em cada post, e não quer dizer que todo mundo tem que concordar, de jeito nenhum. O legal é isso: as diferentes maneiras de pensar e agir nas mesmas situações. Mas tem que haver respeito nos comentários sim! Comentários maldosos é coisa de gente maldosa.
    Eu fiz um texto falando da escolha sobre o parto. Fiquei pensando que seria apedrejada também, rs. Mas viva a liberdade de escolha né? E pra que eu vou dizer que queria parto normal se eu não queria.


    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Totalmente verdade né? A mulherada se mata, discute para que? Para mostrar que são melhores umas que as outras? Mas sabe que no fundo quando eu vejo uma família onde tudo é perfeito, o parto foi perfeito, a casa é perfeita, a criança dorme como um anjo em seu próprio quarto desde sempre, comem só orgânicos e por aí afora, eu penso que são pessoas vazias... porque fala sério né? Não tem como tudo ser perfeito na vida de ninguém...uma coisa ou outra saem do prumo. Adorei o texto amiga!!! Beijos mil

    ResponderExcluir
  10. Oi Má, um ótimo post. A cobrança exagerada é que causa uma culpa desnecessária.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Adri - Aprendendo com o Theo1 de outubro de 2012 20:21

    Amiga....concordo tanto com vc....o que tem de pessoas estragando nossa blogosfera materna.....somos muitas vezes apedrejadas por expor nossa opinião .....e de verdade.....eu ultimamente tenho usado a tecla del com muita satisfação......

    ResponderExcluir
  12. Post excelente!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. palmas. Adorei o post. Faz um tempo que eu quero falar sobre essas polêmicas no blog, mas nunca tenho coragem para avançar no assunto, e seu post veio a calhar. Perfeito. Acho tão blasé quando comentam que me senti mais mulher quando pari de PN. Apesar de querer muito e sonhar com o PN, não aponto o dedo na cara de quem fez cesárea por escolha, até porque, acho que cada um tem que respeitar as escolhas alheias. E sobre a amamentação, isso vai render um belo post, pois eu sou da turma que não se vê amamentando até os 2, 3 anos (já vejo as pessoas me julgando por isso).
    E que saibamos viver a maternidade sem culpa, e sem dedos apontados!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi, oi, oi!!! rsrs Adorei o post! Eu sinceramente acho que os blogs são espaços que apesar de "públicos", contém opiniões e relatos bem pessoais. Cada um tenta refletir a sua realidade, seja ela linda, boa, cor-de-rosa, cuti-cuti ou dolorida, traumatizante, triste, enfim... Só acho chato qdo a gente percebe que estão forçando uma barra , mascarando uma situação ou tentando empurrar goela abaixo um movimento cheio de razão. Por falar em razão... Quem tem razão? Ninguém ou todo mundo, sei lá... Eu às vezes acho graça, às vezes ignoro. Afinal, cada um sabe as dores e delícias de ser a mãe que se é, de acordo com a vida que se leva... bjs no coração! Camila Vaz
    http://mundodepalavras.wordpress.com

    ResponderExcluir
  15. Obrigada pelas palavras de apoio e carinho!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  16. Obrigada querida pelas palavras de apoio e carinho! Tem horas que a gente precisa abrir o coração, já vi muito isso acontecendo com blogs de moda, e perderam a credibilidade e tenho medo de isso acontecer com a blogosfera materna!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  17. Triste é saber que são mães que fazem isso né! Que tipo de filho estão criando!?


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  18. Sylvia, isso que me deixa triste, saber que mãe são capazes de omitir, mentir e passar por cima, se necessário for por, sei lá, popularidade?!? Que tipo de mãe é essa?! Que tipo de filho ela está criando?!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  19. Sabe o que me deixa triste, é a maneira como muitas mamães escrevem! Tipo: EU FIZ PARTO NORMAL E ESSE É O MELHOR JEITO! Como assim?!? Se eu achar que não é?!? Não posso?!?


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  20. Ah amiga linda! EU que te amo e amo a Clarinha!


    Obrigada pelas palavras de carinho! Espero sempre ter você ao meu lado, decepcionar amigas é péssimo!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  21. As mamães estão querendo impor aquilo que foi bom e aquilo que foi agradável para elas como uma imposição! Eu fiz então é assim que o mundo tem que fazer! Isso não é legal ... estamos começando a nos enfrentar ao invés de crescer juntas!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  22. Bem assim mesmo Tatiane!


    Infelizmente não participei da BC, desculpe! Mas na próxima, com certeza estarei presente!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  23. Então vamos fazer um castelo de príncipes e princesas!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir
  24. Obrigada querida pelas palavras de apoio e carinho!


    Beijos, Má

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 Mamãe de Salto - Layout Personalizado por Giselle Carvalho