Um basta contra a violência infantil!

TÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

ART. 3° - A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros, meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.
ART. 5° - Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.

TÍTULO II - DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS
CAPÍTULO II - DO DIREITO À LIBERDADE, AO RESPEITO E À DIGNIDADE

ART. 16 - O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos:
I - ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários ressalvadas as restrições legais;
II - opinião e expressão;
III - crença e culto religioso;
IV - brincar, praticar esportes e divertir-se;
V - participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação;
VI - participar da vida política, na forma da lei;
VII - buscar refúgio, auxilio e orientação.
ART. 17 - O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
ART. 18 - E dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

Estatuto da Criança e do Adolescente

Acredito que se eu encerrasse meu post aqui, já estaria contribuído para a proposta da Blogagem Coletiva que os blogs Minha Princesa Sophia e Mon Maternité sugeriram, UM BASTA contra a violência infantil!



Muito antes de existir a Marcella mãe, há anos atrás existiu a Marcella criança, que pulava, brincava, corria, se machucava, inventava, criava, sujava, levava bronca, fazia lição de casa, ia para a escola, estudava, aprendia tabuada e verbos e tantas outras coisas que são características, circunstancias e situações que me fazem pensar e lembrar de criança e infância.

Minha infância, foi muito gostosa, não posso mentir! Eu vivia num Mundo fantástico da Marcella. Eu sempre gostei de brincar sozinha, seja de Barbie, casinha, banco, loja, supermercado, escolinha ... eu gostava de ficar sozinha e para isso, não precisava de brinquedos! Claro que sofria por não ter Barbie nova de tempos em tempos, chorava porque adoraria ganhar jogos do tipo Jogo da Vida, Banco Imobiliário e Detetive, mas nossa situação financeira não permitia tal, como posso dizer, luxo! Mas nunca me faltou carinho e amor!

Eu nunca apanhei, nunca levei um tapa ... mas as vezes que fiz coisas erradas, meu pai me “corrigia”  com puxões e torções de orelha! Nunca gostei de estudar e, a cada vez que minha mãe “tomava os pontos” que iriam cair na prova, já ouvi muitas vezes que eu era burra! E sabe o que me deixa triste, é que eu não me lembro com tanta clareza dos momentos de alegria, amor e carinho ... mas o dia que meu pai puxou minha orelha ou minha mãe me chamou de burra, isso é claro na minha mente até hoje!

Dizer que meus pais erraram, JAMAIS! Eram as ferramentas de educação e criação que eles tiveram ... e se fizeram isso, foi porque queriam meu crescimento, meu melhoramento (será que existe essa palavra nesse contexto?!). Agora, o que eu não entendo, ou na verdade eu até entenda mas nada servirá de justificativa é ver, por exemplo, um pai chegar em casa após um dia de trabalho, cansado, ganhando um salário mínimo para sustentar uma casa, uma família e sair agredindo seu filho mais novo com tapas porque este estava assistindo televisão na sala.

Ou, por exemplo, o vídeo divulgado pelas emissoras de televisão semana passada aonde uma professora agride um bebê de um ano e cinco meses, batendo, chacoalhando, fingindo que iria derruba-lo da cadeira porque, sei lá, ele estava chorando?! Pode falar que a vida é difícil, que o salário é pouco, que o marido bateu nela na noite anterior ... tudo se justifica, mas NADA explica.

Hoje eu sou mãe e optei por matricular minha filha numa escola particular com seis meses de idade. Confesso que já ouvi muitas criticas acidas sobre a escola que eu optei por matricular minha filha e, para essas que criticam, eu afirmo: MINHA FILHA É BEM CUIDADA SIM; MINHA FILHA É FELIZ SIM; NINGUÉM BATE NA MINHA FILHA! Sou uma mãe presente e que está de olho em qualquer atitude diferente de comportamento da minha filha e sei sim que eu não tenho problemas sobre isso, mas nem sempre é a escola a vilã! Pode ser a babá, o pai, a mãe, a avó ... infelizmente existem pessoas que não conseguem enxergar a docilidade, a fragilidade, a ingenuidade de uma criança e tem coragem de agredi-las fisicamente, verbalmente, espiritualmente!

Quando Sophia era pequenina, tipo um ano e meio, muitas eras as pessoas que perguntavam se já estava andando e eu dizia que sim, começavam os comentários: “Ai que danadinha ... olha que safadinha”. Você alguma vez foi pesquisar o que significa danado ou safado?! Então prepare-se:

Danado da.na.do
adj (part de danar) 1 Condenado, maldito. 2 Furioso, irado, raivoso, zangado. 3 Disposto, esperto, hábil, jeitoso, valente; danisco. 4 Extraordinário, levado da breca. sm 1 Indivíduo atacado de raiva. 2 Alienado. 3 Indivíduo ousado, capaz de vencer quaisquer dificuldades.

Safado sa.fa.do
adj (part de safar) 1 Que se safou; tirado para fora: Navio safado. 2 Gasto ou deteriorado pelo uso: Casaco safado. 3 Apagado, gasto: Desenho safado. 4 pop Desavergonhado, descarado, pornográfico, imoral. 5 gír Encolerizado, raivoso, indignado. 6 fam Traquinas, travesso. sm pop Homem vil, desprezível.

Dicionário Michaelis Online Português

Sabemos, eu e a Francisca, que essa blogagem coletiva não irá mudar o mundo, que nossos selinho não será um símbolo da luta contra a violência infantil mundial, mas temos a vontade de mudar a mentalidade daqueles que estão mais perto de nós! Vamos começar mudando nossos hábitos; vamos começar a mudar nossos comportamentos! Sozinhas somos pequeninas, mas juntas podemos muito mais!

Venha, participe dessa blogagem coletiva! Esse assunto não poderá nem deverá ser apenas para hoje, é para todos os dias das nossas vidas! Pegue o selinho, participe, divulgue ... essa não é uma luta apenas minha nem somente sua, é nossa!














10 comentários :

  1. Fim do mundo a gente pensar que precisa fazer isso, uma blogagem coletiva pra poder proteger nossas crianças. Isso tinha que ser óbvio!!! Mas estamos aí. O meu comentário foi igual em todos os post´s. Fico passada com essas coisas. Parabéns pela BC, Marcella. BeijoBeijo. Andrea e Lara. http://coisas-da-lara.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Puxa vida Má, vc sempre me surpreende!
    Eu não consigo falar assim abertamente das minhas dores!
    Te admiro cada vez mais!


    Os textos estão ótimos!!!!
    Até merecem o TOP Five, ehhhhh

    ResponderExcluir
  3. Olá, participando: http://amigosdefraldas.blogspot.com.br/2012/10/ajudar-mudar.html
    beijo tati

    ResponderExcluir
  4. Olá! Adorei a iniciativa e segue a minha contribuição!
    http://mundodepalavras.wordpress.com/2012/10/10/um-basta-a-violencia-infantil/
    Bjs Camila Vaz

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo seu depoimento. Adoramos participar. Bjs
    http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/#

    ResponderExcluir
  6. Luana Rampin Garcia10 de outubro de 2012 22:48

    estamos participando tbm!!! http://segunda-viagem.blogspot.com.br/2012/10/bc-um-basta-contra-violencia-infantil.html

    ResponderExcluir
  7. Linda sua postagemmm!!!!!

    Com certeza unidas poderemos mudar alguma coisa!
    Cada uma muda um pouquinho e quando vamos ver.. haverá uma grande mudança!!!

    To participando! Aqui está meu link:
    http://amaedomiguel.blogspot.com.br/2012/10/bc-um-basta-contra-violencia-infantil.html



    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Marcella, a iniciativa de você em abordar esse tema é muito digna. Pena eu ter participado, algumas coisas acontecendo e o tempo curtinho. Mas hoje tô começando a ler os textos e estão todas de parabéns!


    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. ótimo post ... muito bem explicativo ...
    adorei participar dessa causa, e torcendo pra que isso acabe !!
    criança é td de bom... e MERECE MUITO CARINHO E AMOR!!
    Beijos Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Laiz Zotovici Martins15 de outubro de 2012 09:54

    Amiga, coisa mais absurda esse vídeo né? Como uma pessoa pode agredir uma criança? sem dó, sem amor. As pessoas esperam um mundo melhor, mas tratando assim os pequenos terão sim um mundo cada vez mais violento, triste e desunido. Parabéns pelo post, espero que as pessoas se atentem a essa violência e esse quadro mude.
    Precisamos agilizar um novo encontro heim!!!
    Bjocassss

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 Mamãe de Salto - Layout Personalizado por Giselle Carvalho