Blogagem Coletiva: Esmaltes e Frases Marcantes

Acho essa ideia de blogagem coletiva semana da Fernanda Reali, uma delícia! Já virei fã e, se possível participarei de todas!

Essa foi muito especial, porque envolve minha nova paixão esmaltes e um pouco de filosofia de vida, frases marcantes.

Infelizmente e, vergonhosamente, não sou a melhor amiga dos livros, foram poucos os que li na vida, mas como toda menina, precisei ler “O Pequeno Príncipe”, um livro tachado como livro de miss, mas confesso que se todas as misses lessem realmente o livro, elas seriam pessoas muito melhores!

Por isso coloco aqui duas frases que, para mim, marcam e mudam a vida de qualquer ser humano.

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar.

"Tu de tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."


E depois uma frase que uso sempre na minha vida! Não sei de quem é, mas quando a li, marquei como minha!

"No fim tudo dá certo. Se não deu é porque ainda não chegou ao fim."


O esmalte usado hoje foi o rosa incrível da Colorama da linha As Super Cores, que falei AQUI! Me amei!!



E você, não quer entrar nessa blogagem e nos mostrar seu esmalte e sua frase marcante?!


12 comentários :

Intensidade

Sou intensa, sou dada, sou espontânea ... se gosto gosto se não gosto não escondo! Minha mãe até briga comigo porque não consigo ser simpática ou agradável com os pacientes que não gosto. Abaixo a cabeça, fico calada e evito olhar nos olhos! Sou assim ... sofro da síndrome da Gabriela “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim”.

Quando falei AQUI sobre meus dois anos de curso de jornalismo, assumi que aprendi um pouco do básico, e sei que em qualquer texto é necessário haver imparcialidade, não posso me envolver no assunto! Se eu estivesse fazendo uma reportagem sobre exploração infantil, mesmo me causando náusea e dor, jamais posso tomar as dores e xingar aqueles que promovem tal monstruosidade, vai que estou num meio de comunicação que o dono é o maior explorador de trabalho escravo infantil, por exemplo ... era demissão na certa!

Mas sabe, aqui é um blog, meu blog ... e me sinto com a total liberdade de falar o que eu quero e como eu quero! E pequei em colocar palavras que muitos viram como “fortes” e “intensas”, levando meu comentário sobre a forma de eu fazer os sorteios do meu blog como uma espécie de “agressão”.

Tudo foi acertado com quem achei que estivesse mal interpretado minha palavras, mas parece que não ... parece que a proporção do que eu falei no meu blog foi parar em lugares tão maiores que nem eu sabia que existiam!

Felizmente ou infelizmente eu não conheço todos os blogs com temática materna do Brasil! Tenho certeza que existem muitas mamães dispostas a compartilhar suas histórias ... o que me comove é ver que o que parecia uma intensidade do meu ponto de vista foi interpretado de maneira tão errada e foi tomando proporções gigantescas!

Explicando meu termo “fielmente” é porque em meu primeiro sorteio do Mon Maternité, eu usei o site Random e, ao fazer o print screen no computador, um novo número foi gerado e eu perdi o primeiro e verdadeiro número. Vi ali uma falha no sistema! Achei que poderiam achar que eu manipularia o sorteio ... não haviam testemunhas! EU achei melhor mudar e como havia visto esse sorteio em outro blog, optei por ter minha filha como “prova” da MINHA verdade!

O que pude perceber é que muitas pessoas se sentiram ofendidas com minhas palavras ... o que me surpreendeu é alguém pensar que a gente escreve querendo “destruir” alguém! Aí entra minha maior tristeza ... pensarem que eu estou julgando o outro!

Peço imensamente desculpa para aqueles que se sentiram ofendidos, que se sentiram lesados pelas minhas palavras! Não questionei e jamais questionarei a idoneidade e honestidade de vocês! Eu expliquei os meus motivos e jamais imaginei que alguém pensaria que eu estava escrevendo aquilo para alguém ou por alguém!

Confesso que num acesso de tristeza e muita decepção eu pensei em “largar as bets” e jogar tudo para o alto! Como valeria a pena escrever se não sou bem interpretada ou mais, se sou julgada como “encrenqueira”. Da mesma forma que quem se sentiu lesado se usou das redes sociais, eu fiz o mesmo! Um erro!

Por isso, venho no meu espaço, mais uma vez pedir desculpas para aqueles que se sentiram ofendidos, jamais foi a minha intenção! Escrever pensando em tirar a credibilidade de um amigo não faz parte de mim! Estou aqui porque quero sempre continuar a “compartilhar, aprender e ensinar a benção da maternidade!”.

Espero continuar a ter as amigas que fiz, adquirir mais amigas e ter minha honra sempre digna!

Mais uma vez, perdão!


12 comentários :

Estreia!

Estou tão feliz, tão emocionada, tão sem palavras! Hoje foi minha estreia lá no meu novo lar, hoje foi ao ar meu primeiro post no Recanto da Mamães Blogueiras! Ai meu Deus, agora é oficial, é definitivo!

Já vivi alguns momentos marcantes na minha vida de mamãe blogueira: fui selecionada na temporada passada do Tutti Mami que foi uma escola para mim, afinal, eu tinha que ser eu mesma e, ao mesmo tempo, cuidar com minha opiniões e ideais! Sou ex-Tutti Mami com muito amor!

Depois vieram as cartinhas para o Papai Noel Mon Maternité, aonde quinze mamães lindas, amigas e queridas aceitaram o meu pedido de escrever uma cartinha para o “papai noel” contando como foi o ano maternal de 2011 e o que desejavam para o próximo ano ... puxa vida, aprendi tanto com essas mamães!

Esse ano me vi na Colcha de Retalho do site super badalado Mamatraca e, por uns quinhentos votos não ganhei um super kit de presentes! Foi por pouco! Obrigada amigas que votaram em mim!!!

E eis que semana passada recebi o convite para integrar a família Recanto das Mamães Blogueiras! Nossa, foi um ápice na minha vida “profissional”! Sabe quando você vê aquilo como um sonho, tipo assim ... o Recanto das Mamães Blogueiras é o desfile da Victoria’s Secret e lá tem Heidi Blum, Adriana Lima, Miranda Kerr, Naomi Campbell, Tyra Banks, Gisele Bündchen ... então eu sou a Alessandra Ambrosio da mommysfera ...  eike glamour!

Então convido todas as amigas para me prestigiarem lá na nova casa! Amanhã é dia da Chris Ferrera, lá do blog Inventando com a Mamãe!

Então ... que venham as bênçãos, que venham os desafios que eu sou uma da angels!!

Olha aí mamães do Recanto ... somos nós!!!
Me visitem AQUI!!!





12 comentários :

Quem será que ganhou!

Enfim, o sorteio em parceria com a Todolivro foi realizado! Não tenho palavras para agradecer a todas que participaram, sem dúvida foi o maior e melhor sorteio que o Mon Maternité já realizou! Foram 99 participações válidas, incluindo as chances extras, que era divulgar o sorteio nas redes sócias Facebook e Twitter.

Infelizmente muitas participantes tiveram suas participações “anuladas”, algumas porque não seguiram o blog Mon Maternité e outras tiveram as chances extras invalidadas, porque afirmaram que divulgaram e não fizeram! Uma pena!

Confesso que temia uma rejeição em virtude do presente, mas graças a Deus a resposta foi excelente! Não poderia esperar nada melhor!

Então chega de lero lero que o que vocês querem ver é princesa Sophia tirando o papel com o nome de uma de vocês!!

Validando as participações

99 papeis devidamente recortados em tamanhos iguais!


E quem ganhou o sorteio foi a.......



PARABÉNS!!!

Enviarei um email para você pedindo seus dados e, se caso não obtiver uma resposta no prazo de 24 horas, um novo sorteio será realizado!

Também gostaria de me colocar a disposição para qualquer dúvida quanto a forma do sorteio. Acredito que todos que conheçam o Mon Maternité sabiam da nossa forma de realizar, acredito fielmente que assim seja mais honesto e seguro que o site Sorteador ou Random. De qualquer maneira, estou a disposição no email monmaternite@monmaternite.com

Deus abençoe todos! Obrigada!

8 comentários :

Vem tomar um chocolate quente!

Quando eu entrei para o mundo da mommysfera, realmente achei que seria a única a ter a ideia de compartilhar as alegrias e frustrações da maternidade real, me enganei! Haviam centenas de milhares de mães espalhadas pelo Brasil e até em outros países dispostas e disponíveis para compartilhar suas histórias.

Fui conhecendo uma ou outra, hoje já conheço duas pessoalmente ... a Ju do “Nossas histórias mãe e filho” e a Paty do “Profissão Mamãe!”, mas ao longo desses pouco mais de um ano, fui criando afinidade com inúmeras mães! Algumas a gente “conhece” e gosta pelas histórias dos blogs, a maneira que relata as experiências e como lidar com elas; outras temos como uma “inspiração” e começamos a admirá-las ... quem sabe elas nem saibam da nossa existência, mas nós sabemos que elas existem; algumas outras mamães “surgem” na nossa vida e a empatia nasce! Não sei se pelo nome da mamãe ou do frutinho, pela foto do perfil ou pela influência que ela exerce na mommysfera, mas algumas mamães acrescentam demais e nasce um sentimento inexplicável ... um desejo de ser amiga, daquelas de trocar email, figurinhas e papeis de carta!

Quando fui convidada para ser Embaixadora do DIA DO DESAFIO do Recanto das Mamães Blogueiras, pude conviver –virtualmente- com mamães ainda “desconhecidas” para mim, e uma delas foi a Isabella do blog liiindo Para Beatriz! Não tive a oportunidade de falar isso para ela, mas declaro aqui publicamente ... nasceu um amor e uma amizade que espero não perder jamais! Depois no Twitter me surpreendi com seu nickname @mãdemerda e pensei ... “Que tipo de mãe é essa que se auto intitula algo que tenho certeza que não é?!” ... pois bem, precisei saber mais da vida dessa mamãe que hoje, mais do que nunca não é e nunca será uma mãe de merda!

Por isso convidei a Isabella para tomar um chocolate quente bem gostoso aqui no Mon Maternité e poder assim, conhecer um pouco mais da vida dessa menina que como eu, só descobriu a gestação lá nos finalmente!

Venham todas, sentem-se e sirvam-se de histórias e emoções!

Obrigada Isabella querida por aceitar o convite ... saiba que foi um prazer enorme tê-la aqui na minha casinha! Hoje, entendo porque amei você e sua Beatriz!


Sou Isabela Kanupp tenho quase 22 anos e sou mãe da Beatriz de 2 anos e 6 meses.

Vim aqui a convite da Marcella   para contar sobre mim, a minha vida, e tudo mais.

Para mim tem uma diferença entre existir e viver, e creio que a minha vida se deu início em Janeiro de 1991. Recomecei a viver três vezes, e quase  tantas outras.

A primeira vez que ganhei a vida, foi  no dia 03 de Junho de 1990 na Maternidade de Campinas (Sp) através de uma cesárea, com 3kgs e tantos e 40 centímetros.

Creio que eu tenha sido muito paparicada, meu irmão era todo orgulhoso de mim.

Em meio a esse tempo (1990 a 1991) um belo dia eu fiquei roxa no braço do meu pai, e depois de levarem a muitos médicos descobriram que eu era cardiopata e precisava de uma cirurgia urgente, foi ai que eu quase morri.

Meus pais não tinham condições de pagar, e na época, o SUS era mais precário ainda. Então uma médica de um hospital aqui de Campinas conseguiu um encaixe para mim no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Hospital caro, mas atenderam meus pais de graça.
Foi ai que conheci a pessoa que me deu a vida pela segunda vez: Dr. Miguel Barbero Marcial.

Que se comoveu com a história e conseguiu me encaixar como um caso da equipe dele no Incor, tudo de graça.

A cirurgia foi marcada para Janeiro de 1991, eu com 7 meses de vida.

No dia, quando a equipe médica “ me abriu” viram que o problema que eu tinha TGV (transposição dos grandes vasos) não era tão simples quanto eles imaginavam, pois tinha o agravante de mais um problema CIV (Comunicação Intra Ventricular), ali eles realizaram uma cirurgia complicada, delicada e na época inédita, e eu fui parar em livros de medicina!

Eu tinha 20% de chances de vida, e se mesmo isso acontecesse teria seqüelas por toda a vida.

Um dia, eu estava com marcapasso externo e de acordo com toda a equipe médica eu teria de colocar um interno e viver com aquilo a vida toda, e eu tirei ele e eu sobrevivi. Ali, na frente de todo mundo.

Fiquei 60 dias no Incor, morando lá.
Depois tive de ir todo mês até os 7 anos de idade fazer acompanhamento lá, e então, tive alta.

Tive uma infância quase normal, comia de quase tudo, brincava de quase tudo, e levava uma vida dentro da normalidade. Tinha amigos, imaginários e reais, brincava na rua com meu irmão, tinha bonecas, fazia arte, e tudo que uma criança faz.

Aos 11 anos eu estava sozinha em casa com a minha mãe, e ela faleceu. E eu quase morri junto.
Deixei para trás a minha infância, boa parte dela, além das bonecas e amigas, agora eu tinha de ajudar meu pai, eu tinha de aprender a cozinhar, eu tinha de viver sem mãe para amarrar meu cabelo.

Tínhamos uma vida confortável, carro, casa própria, empregada, era bem bacana para o padrão da época. No tempo que convivi com a minha mãe, ela me educou muito bem, nos ensinou valores preciosos, o exemplo que eu tive dentro de casa determinou quem sou hoje.

Mas aos 15 anos eu conheci outro mundo, que não me arrependo, eu entrei na fase de rebelde sem causa, eu saia na sexta e voltava na segunda, meu pai casou pela segunda vez, eu estourei dois cartões de crédito e ganhava uma pensão gorda do governo. Ou seja, era o combo para todas as merdas possíveis acontecer. E aconteceu bastante.

Digo que conheci pessoas que tiveram total influencia no que sou hoje, no lado positivo e negativo. Não nego, aprendi muito, cresci muito, vivi muito, viajei muito e experimentei todas as loucuras que se possa imaginar.

Descobrimos que meu pai tinha mal de Parkinson, mas estava no início e ele começou a tratar, porém a cada dia que passava ele precisava mais e mais de ajuda.

Minha adolescência teve tudo que tinha direito, eu conheci, eu explorei, eu fiz tudo o que tive vontade e quase deixei meu pai pirado.

E foi ai que minha avó materna descobriu ter câncer, minha segunda mãe. Dos conselhos mais malucos e sensatos ao mesmo tempo, e ela veio a falecer. Eu fui morrendo mais e mais aos pouquinhos e deixando literalmente, a vida me levar. Sem pensar no futuro, e eu sempre tive um lema: se nada der certo, aos 25 eu engravido.

Eu sempre tive a certeza que a única coisa que me faria por os pés no chão, seria ter um filho.

Tive alguns namorados, algumas paixões duradoras, muitas confusões e em 2008 eu conheci uma pessoa que eu já conhecia, mas não tão bem. Comecei a namorar e com 7 meses de namoro meu marido veio morar em casa, a convite meu e do meu pai.

Engravidei.

Eu não queria e queria. Eu queria ser mãe, mas em um futuro distante. Meu marido era músico, a gente vivia viajando para shows, eu tinha meu pai que apesar de tudo demandava muito ajuda, e ali não era a hora.

Mas aceitei.

No primeiro ultrassom descobri que eu já estava com 5 meses de gravidez.

Correria para comprar tudo, para colocar a mente no lugar e nesse tempo já tínhamos acostumados com a ideia.

Fiz meu pré natal no SUS, queria um parto normal, não quiseram meu caso e falaram que só fariam um parto normal com autorização de todos meus cardiologistas particulares. Corri atrás, gastei mais grana com médico do que com enxoval, e em uma conversa franca com meu médico eu ouvi o seguinte: “ Coloco aqui nesse papel o que você quiser, mas eu como médico, como seu médico desde que começou a acompanhar aqui em Campinas, eu digo que não temos como saber, não há nenhum caso como o seu, todos os outros casos são mais novos que você, cirurgias mais modernas, e ninguém teve filho para saber se sua válvula artificial agüenta ou não agüenta, pode agüentar você ter um parto lindo, ou você pode não agüentar”.

Decidi pela cesárea. Eu queria criar minha filha, eu queria educar minha filha, e a forma como ela viria ao mundo naquela minha situação não importava tanto.

Beatriz nasceu no dia 19 de outubro de 2009, com 4 kgs e 90. E então eu comecei a viver pela terceira vez. Não só como mãe, como mulher, como humano, como um cidadão com pensamentos totalmente diferentes do que eu tinha antes. E eu tinha 19 anos.

Os três primeiros meses foram difíceis como na maioria dos casos, cólicas, noites em claro, adaptação da nova rotina.

Depois eu encarei com mais leveza, com mais tranqüilidade.
Não tinha com quem dividir minhas dúvidas, criei um blog. Criei de início porque precisava compartilhar, desabafar, e porque eu sempre tive medo de morrer e o blog seria uma forma de deixar ali registrado para a Beatriz tudo o que eu sentia, o que eu acreditava, minhas opiniões.

Escrevia para as paredes, e para meu irmão que lia. Para o marido que lia. Para a sogra.  E depois os amigos, e indicaram para outros amigos. E eu peguei o gosto por algo que eu já tinha, escrever.

Fiz muitas amizades, um tanto de inimizades, aprendi a escrever sobre o que eu acreditava e encaixando isso no contesto da maternidade. Minha opinião é a minha opinião, muitas pessoas são contra, mas eu sou assim... eu não nego.

Declarei guerra, declarei minha opinião, declarei ali meu amor pela Beatriz, pela descoberta da maternidade e enfim descobri quem eu realmente era. Tantos anos para deixar de existir e começar a viver.

Educo a Beatriz de acordo como fui educada, pelo exemplo. Muitas das coisas nas quais não concordo com as atitudes que meus pais tiveram eu descarto, vou testando, aprendendo, errando, e não tenho medo de errar. Eu sei que eu aprendo todos os dias.

Em 2010 tive o prazer de conhecer a pessoa que me deu a vida pela segunda vez, o Dr. Miguel Barbero Marcial. Em uma homenagem pela sua aposentadoria, com direito a entregar placa de agradecimento e tudo.

Hoje a Beatriz tem 2 anos e 6 meses e me ensina muito mais do que muitas pessoas que passaram pela minha vida.
Não tenho como terminar esse texto, minha vida não acabou e tenho certeza que irei quase morrer e viver tantas e tantas outras vezes.

E isso foi só um resumo.

Álbum de LINDA família!


16 comentários :

É a vida ... é bonita e é bonita ....

Existem pequenos detalhes que fazem toda a diferença nas coisas; como é maravilhoso quando somos surpreendidos positivamente! Tenho vivido momentos únicos na minha vida ... sejam bons ou ruins. Posso garantir que até agora a notícia da minha gravidez foi o que mais me chocou; não sabia se para o bem ou para o mal, mas foi chocante descobrir que eu tinha recebido a benção de gerar uma vida.

De lá para cá isso não parou de acontecer, virou uma constante na minha vida! Morar junto com namorado, cuidar de uma casa, ser mãe, trabalhar fora, passar necessidade, engordar quilos e mais quilos, ter um blog, parar de estudar ... foram “detalhes” que mudaram o rumo da minha vida.

Tenho certeza que tudo isso tem haver com o fato de ter me tornado mãe.

Na vida pessoal, ainda continuo a passos lentos. Quando penso que irei voltar para a faculdade, sempre acontece alguma coisa e PÁ, não rola! Seja família, $$$$ ou certeza se é aquilo mesmo que quero, parece que esse sonho está sendo adiado.

Na família, ainda não sei o que irá acontecer, mas creio num Deus que sabe todas as coisas e que “tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus”.

No blog, posso afirmar que tenho vivido momento que vão de bom para melhor! A cada novo dia tenho sido surpreendida com notícias mais que maravilhosas ... e esse final se semana tive mais uma! Tô até agora meio anestesiada ... sem acreditar na benção que recebi!!!

Eu fui convidada para fazer parte da família Recanto das Mamães Blogueiras!!! É muita emoção para uma menina/mulher só!! Quando recebi o convite eu saí gritando pela casa ... juro que acordei marido e filha!!! Quase enfartei os dois ... mas não tinha como não comemorar!!

Gostaria de agradecer, primeiramente a Deus, sem Ele, de nada valeria tudo o que escrevo e faço no Mon Maternité; depois à minha família que não aguenta mais palavras como blogosfera, parceria, sorteio e blogs; depois, mas não menos importe a todos aqueles que vem até o Mon Maternité, se interessam, se preocupam, perdem e ganham tempo aqui nesse blog que é um divã, um diário, um desabafo!

Família Recanto ... muitíssimo obrigada pelo convite, pela oportunidade! A responsabilidade é grande, o desafio é gigantesco mas agarrei com unhas e dentes e podem ter certeza que darei meu melhor! Estou aqui para aprender e fazer a diferença!

Convido a todas para visitarem o site do Recanto das Mamães Blogueiras! Sejam bem vindas na minha nova moradia ... e sintam-se em casa! Lá é um pouco da casa de todas as mamães blogueiras!



7 comentários :

Blogagem Coletiva “Esmaltes e Bolsas”

Falei AQUI sobre minha nova paixão sobre esmaltes, e, coincidentemente o blog Fernanda Reali sugere Blogagens Coletivas quase que semanalmente sobre esmaltes e alguma coisa do dia a dia! Influenciada pelas queridas Chris Ferreira e Andréia Sales (ambas apaixonadas por unhas bem feitas e esmaltes diferentes), venho aqui participar da minha primeira Blogagem Coletiva de esmaltes e, o tema dessa semana é Esmaltes e Bolsas!

Falei AQUI sobre minha aquisição da coleção A Super Cores da Colorama Esmaltes. Daí que ontem fui à manicure e os levei, junto com outro que não fazia parte da coleção ... e, adivinhem qual usei e ousei?!?! O que não era da coleção! O escolhido foi “Fantasia”, da mesma marca; como ele é um cintilante, a primeira mão foi de “Jeans”.

Confiram as fotos!!!


Colorama Jeans
Colorama Fantasia




Com a mochila de "primeiros socorros" da Sophia

Minha bolsa de final de semana

Com a bolsa protetora do notebook




15 comentários :

Esmaltes para que te quero!

Final de semana chegando e com ele a vontade e o tempo de ir ao salão fazer pé e mão! Já falei AQUI que estou apaixonada por esmaltes, tanto que estou comprando e conhecendo várias cores, o que me dá vontade de ousar ... mais do que isso, vontade de compartilhar com vocês as novidades no mundo colorido dos esmaltes.

Eu sempre roí unha (abafa o caso e pula para o próximo capítulo) e sempre me envergonhei disso! E só conseguia manter a unha linda quando ia na manicure, mas com todo aquele período negro e turbulento da minha vida, passei ANOS sem ir na manicure! Agora que estou melhor, mais confiante, estou indo semanalmente e, pasmem e celebrem: MEU NOME É MARCELLA E EU ESTOU HÁ MAIS DE TRINTA DIAS SEM ROER AS UNHAS! Para quem tem esse vício, sabe o quando é difícil e, quanto mais longa a unha, maior a vontade!

Pois bem, estou me controlando ... não vou negar que as vezes me pego querendo colocar a mão suja na boca, mas penso no trabalho que deu deixa-la crescer e, que eu seu tirar um mísero pedacinho ela vai ficar feia e o esmalte que eu queria passar vai ficar horrível num dedo cabeçudo!

Então, eu vivo atrás de novas cores e descobri uma coleção novinha em folha da Colorama, As Super Cores! Embora as cores não sejam tão novidades assim, mas confesso que elas tem um super que realmente as torna mais viva, mais quentes!

As Super Cores faz parte da coleção outono-inverno da Colorama Esmaltes e promete dar super poderes nas mãos daquelas que ousarem! Eu comprei quatro das oito super cores, que estão divididas em ultravioleta, cinza curinga, verde ninja, rosa incrível, azul biônico, laranja elástico, mostarda atômica e marrom mutante.

Então #ficaadica para a próxima vez que desejarem ousar e ficarem mais super do que já são!



No sentido horário: Cinza Curinga, Rosa Incrível, Ultravioleta e Verde Ninja!




2 comentários :

Respeitar os mais velhos

Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.
Êxodo 20.12

Eu não sei se estou certa ou errada, mas a cada dia que passa procuro ser A melhor mãe do mundo. Eu leio, assisto programas, pesquiso, ouço e discuto muito sobre maternidade, criação e educação. Procuro oferecer para minha filha muitas coisas que eu não tive na minha vida, sem deixá-la “mimada”, procuro não brigar, mas sempre que se faz necessário agir com firmeza, chamando a atenção e até colocando-a de castigo.

Tento ao máximo não cometer os “erros” dos meus pais e avós. Mas em muitos momentos, aquilo que eu achava que era super errado e que prometia para mim mesma que quando tivesse um filho JAMAIS faria, hoje vejo que é (e foi) a melhor opção.

Daí que quando a gente vira mãe, um turbilhão de emoções e sentimentos entram em ebulição. Se fosse física, diria que uns evaporam, outros condensam e alguns conseguem até solidificar-se. O que posso afirmar é que nossas idéias mudam completamente.

Se antes eu achava um absurdo meus pais não me deixarem viajar com o namorado, seja por segurança, insegurança ou ciúme, hoje eu não consigo sequer imaginar o dia em que Sophia me contar que deu o primeiro beijo; mas ao contrário da minha mãe, quero saber se ela esta gostando de alguém e quero ser amiga e confidente. Então, é claro que houveram coisas que eu continuo achando errado, mas muitas coisas entendi que eram melhores assim.

Daí que essa semana tenho prestado muito atenção na forma que muitas famílias se relacionam. E, todas elas tem me chamado a atenção nagativamente.

* Foi na terça-feira, eu e minha mãe fomos na padaria tomar uma lanche entre um paciente e outro e havia uma família composta por pai, mãe e duas filhas (uma de 12 e a outra de 9 anos, mais ou menos). Ambas as meninas comiam uma coxinha de frango bem engordativa e engordurada e bebiam água mineral sem gás. Elas reclamavam de ter que tomar água, mas pelo o que pude entender, refrigerante ou é proibido OU é liberado apenas aos finais de semana. PORÉM, a menina mais nova abriu um daqueles sachês de açúcar cristal e … comeu! OI?!?! O QUE!??? Siiiiim, o refrigerante é proibido, mas comer açúcar, tudo bem!

* Ontem (quarta-feira) fui almoçar num restaurante do tipo buffet, onde existem pessoas de todos os níveis sociais, culturais e o que mais existir! Na hora em que fui pagar a conta, havia na minha frente mãe e filha, esta com uns onze anos, quando ela vira para a mãe e fala “Nossa, mas como é que ele tem? Ainda não chegou no Brasil!” a mãe pergunta “Mas e era igual ao seu?” ... “Era mãe, e é impossível ele ter, se ainda não tem no Brasil, como é que ele tem!?”. OI!!!?!? O QUE?!?!? Só a menina e a família dela podem viajar para outro país e comprar aquilo que só ela tem?

* Estava com vontade de tomar um refrigerante e saí na hora do almoço do consultório para comprar na farmácia, quando havia uma família composta por mãe, filha e um moço (não sei se era filho ou namorado da menina) no caixa eletrônico sacando dinheiro. A mãe dá R$50,00 para a filha de uns treze/quatorze anos, que resolve discutir a relação ali, na frente de todo mundo “O que, você vai me dar só isso? Não dá para fazer nada. Me dá mais!”, a mãe, sem a menor vergonha pelo tom elevado da filha, respondeu mais alto ainda “Mas quando vai custar isso? Já está de bom tamanha cinquenta reais!”, “Eu não vou levar só isso, se você quiser eu te dou o troco, mas pode me dar mais!” afirmou a filha que, prontamente recebeu mais algumas notas da mãe. OI?!?!? O QUE!?!?

O que essas situações me mostram é que existe algo muito sério com as família de hoje. Não sei se falta educação, falta tempo, falta amor ou mesmo se sobra dinheiro. O que me preocupa não são as outras famílias, mas saber que os frutos dessas famílias podem estar estudando na mesma escola da minha filha e que, de certa maneira, irão influenciar minha filha. Infelizmente, todos os exemplos que vi são com meninas, mas poderiam ser meninos que viessem a namorar a minha filha e daí, como é que será que ele iria tratá-la, se fala assim com a mãe?!

Não quero me fazer de Deus, Freud ou qualquer outra pessoa e dizer que eu sou a certa, que eu sou a melhor, que eu sei, mas acredito de verdade que busco ser tudo isso! Procuro passar para minha filha valores de respeito, compreensão, compaixão, amor, solidariedade, dignidade, honestidade! Tenho muito medo de perder os poucos amigos que temos porque eles acham minha filha uma criança insuportável!

Acho que um blog sobre maternidade tem o poder de ir além dos sorteios e fotos dos frutinhos, é uma chance de desabafo e reflexão! Quantas vezes li posts que me fizeram realmente parar e pensar! Ontem mesmo li AQUI um texto no blog Balzaca Materna com o título “O que não entra na minha cozinha” e, tudo o que não entra na cozinha da Dani entra na minha! Lendo os comentários dela até me achei a pessoa mais podre do mundo, a que não se importa com uma boa alimentação, a que vai morrer de enfarte aos trinta e cinco anos, ter hipertensão e colesterol alto com trinta e diabetes tipo II aos trinta e três! Sério, foi chocante na hora ... mas passou, até comprei uma barrinha de Laka para relaxar, mas é sério ... me fez pensar!

E acho que esse é meu dever aqui como mamãe blogueira!






8 comentários :

AM/PM




Não sei vocês, mas muitas coisas eu só consegui aprender na prática. Dirigir, cozinhar, passar roupa, aritmética são alguns exemplos daqui que só a teoria não adianta, é preciso haver prática e, com ela, há melhora e quem sabe uma “perfeição”!

A maternidade é uma dessas ciências que exigem a prática como matéria para aperfeiçoamento. Não adianta apenas ler livros, procurar na internet ou ir atrás de cursos, é apenas na prática que aprendemos e melhoramos nossas aptidões. Para muito, o momento do banho é tranquilo, paz total; para outros, por exemplo, o banho era o caos e desespero! Eu achei que aquela redinha fosse a solução dos meus medos, quase matei Sophia usando aquilo! Em todos os lugares que pesquisei, diziam que aquilo era A solução dos problemas!

Além do fato do cuidar, muitas são as coisas que aprendemos com a maternidade, por isso digo que a vida de uma mulher se divide em AM : Antes da Maternidade e PM : Pós Maternidade.

Vamos aos mandamentos da Maternidade Real!

01* Você nunca dormirá mais como antes; Nem sono durante o dia muito menos de noite;

02* Você não terá mais prioridade em nada! Você não será a primeira a entrar nos ambientes, você não a primeira a cumprimentarem ... você será apenas a primeira a se servir num buffet, por exemplo, porque você estará pegando comida para o frutinho, não para você;

03* Seu nome será banido das conversas entre familiares e amigos próximos, eles nunca mais perguntaram como VOCÊ está ... eles perguntarão com o frutinho está;

04* Antes você ficava feliz se alguém te elogiasse; hoje você se sente a Miss Universo se falam que seu frutinho é lindo ... e se completam que parece com você, nossa, ganhou o dia!;

05* Na sua bolsa não terá nécessaire com maquilagem, haverá bolachas, lenços umedecidos, lenços de papel, brinquedos e tudo aquilo que poderá ser distração para o frutinho;

06* Carro limpo e organizado: isso não te pertence mais! Aquilo que faça o frutinho feliz será aquilo que haverá no seu carro! Não existe mais um cd com “músicas para dirigir”, existe o cd “As 100 melhores da pré-escola do Patati Patatá”, isso se você já não instalou um aparelho de DVD no encosto do carro;

07* Banho de diva?! Isso não será mais possível! Não nos primeiros anos de maternidade! No primeiro ano você continuará ouvindo o choro do frutinho, mesmo que ele esteja dormindo!;

08* Roupas limpas e bem passadas não farão mais parte da sua vida, não enquanto o frutinho consegui ir no seu colo;

09* Não adianta ... não importa o tamanho da sua abertura bucal: o frutinho não vai comer mais e melhor só porque você fica abrindo e fechando a boca enquanto alimenta ele!;

10* Não importa quantas coisas você leia sobre ser mãe, se incentiva ou desestimula a maternidade ... saiba que mesmo com todos os contras que existem, ser mãe é simplesmente A MELHOR COISA DO MUNDO! Nada nem ninguém faria eu trocar o título supremo de MÃE!!

Agora se existe uma coisa que eu aprendi é que uma mãe precavida vale por milhares! Não tem coisa mais frustrante e irritante do que acontecer algo e você não estar preparada! Anota aí!

na bolsa da mamãe mon maternité

no carro da mamãe mon maternité



Sem falar é claro que é necessidade básica ter roupa e sapato reserva no carro! E tem que ser correspondente a todos os tipos de clima possível! Se tiver shampoo e toalha é melhor ainda!

E você, o que carrega na sua bolsa e no seu carro para os frutinhos?!

Mamãe que se cuida MODE ON!




9 comentários :

Sensação de banho tomado!

Uma das características mais marcantes da gravidez é o enjoo. Não sei se é porque a gravida fica como olfato apurado, então as essências ficam mais fortes ou se é algum tipo de reação hormonal ... mas há quem diga que é a pior parte da gestação!

Durante a minha gravidez, conheci um produto que muito mudou a minha vida. Sério, não é piada! Você já ouviu falar em “body splash”?!?!

O body splash é um perfume mais suave, podendo ser usado direto na pele, antes de colocar a roupa, depois de vestida ou com um perfume! É uma delícia!
                                                                               
Eu conheci o body splash há muito tempo, mas foi na gravidez que usei e abusei! Usei tanto que meu marido não consegue sentir a fragrância do splash que usei durante a gestação. Outra coisa maravilhosa do body splash é que você pode ter vários porque o preço é bem baixinho (se comparado aos dos perfumes) e pode usar cada dia um.

Para os dias quentes, uma ótima pedida são as fragrâncias cítricas, dá um ar refrescante.

Fica aqui uma dica para as gravidinhas que estão passando mal com a fragrância dos  perfumes, e assim, não param após o nascimento do frutinho!

Meus preferidos são os da Victoria Secret`s  e da GAP, mas, existem marcas nacionais que não nos deixam na mão! Vale a pena conferir!



** Os preços aqui oferecidos são aproximados, claro que existem diferenças entre cidades!


6 comentários :

Copyright © 2013 Mamãe de Salto - Layout Personalizado por Giselle Carvalho